Vereadores André Maestri e Edvânio Mendes cobram saúde em Embu das Artes
Maestri destaca que foi identificada uma dívida da Prefeitura de Embu das Artes com a empresa Edusa, que administra o Pronto Socorro Central, UPA Santo Eduardo e Hospital Leito
29 de novembro de 2018
(Foto: Divulgação)

O vereador André Maestri (PTB) apresentou na última quinta-feira, dia 22 , na sessão ordinária na Câmara Municipal de Embu das Artes um requerimento solicitando a administração do município informações referentes aos plantões exercidos pelos médicos (as) e enfermeiros (as) em atividade na rede pública de saúde, cobrando assim transparência com relação a quantidade de funcionários, uma vez que a população vem evidenciando falhas no atendimento.

“Nessa lista estamos cobrando a quantidade de médicos nos respectivos plantões e também os nomes desses médicos com o respectivo registro no Conselho de Medicina. Muitos munícipes já fizeram denúncias e nós já constatamos também em algumas idas nestes equipamentos que o plantão não está da maneira que tem que ser. Com todos os médicos nas suas funções”, disse o vereador André Maestri.

Maestri destaca que foi identificada uma dívida da Prefeitura de Embu das Artes com a empresa Edusa, que administra o Pronto Socorro Central, UPA Santo Eduardo e Hospital Leito e por esse motivo as falhas que já foram evidenciadas, no entanto, ele salienta que a população não pode pagar por essa dívida. “não podemos ser refém desta briga da empresa com a Prefeitura. Eu peço que o atual governo cumpra com sua responsabilidade, e pague a empresa para que a população não sofra”, falou.

Já o vereador Edvânio Mendes fiscalizou o Pronto Socorro Central e evidenciou o caos na saúde pública, com a demora no atendimento médico. Em vídeo, ele fez o apelo e alertou para espera de mais de 4 horas para consulta e até 2 horas para medicação. Cobrou fiscalização por parte do prefeito e do secretário de saúde, assim como tomar as providências.

Também na manhã desta quinta-feira, dia 29, esteve novamente no Pronto Socorro, dessa vez para sua mãe receber atendimento e cobrou do prefeito Ney Santos e toda administração respeito com os munícipes e atenção para saúde, destacou ainda que apenas um médico estava no local. “Cheguei aqui no PS Central e só tem um médico e está lotado aqui, o senhor [prefeito] acha que estou com politicagem usando a minha mãe? Não estou não, estou defendendo a população. Só tem um médico”, falou em vídeo.

Veja também  Prefeito Rogério Franco entrega cinco desfibriladores para Secretaria da Saúde de Cotia
Crédito: Redação
O projeto da Carreta da Saúde, Fila Zero no seu Bairro teve início neste final
Os pacientes da UBS Valo Velho enfrentam longas filas para marcar uma consulta médica em
Já dizia o poeta que "a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional". Essa