Vereadores comemoram vitória de Ney Santos no STF; oposição cita ‘manobra’ no afastamento
Com moral, vereadores do grupo político de Ney Santos alfinetam oposição que votou contra licença
(Foto: Assessoria de Imprensa)

Um dia após o prefeito Ney Santos ter concedido Habeas Corpus em julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) , os vereadores da base aliada ao governo municipal comemoraram a decisão favorável a Ney, que permanece na prefeitura de Embu das Artes. Por outro lado, os vereadores da oposição questionaram se o prefeito teria usado a licença da Câmara Municipal “para disfarçar uma fuga”. O debate aconteceu durante a 5º sessão ordinária realizada na manhã desta quarta-feira, dia 7.

O advogado do prefeito Ney Santos, o Dr. Joel de Matos Pereira, acompanhou a sessão da mesa diretora e também participou da discussão.

Todos os vereadores da base do governo Ney Santos estiveram presentes e fizeram o uso da palavra. Destaque para a fala do vereador Ricardo Almeida, que classificou as justificativas feitas pela oposição contra o afastamento de Ney Santos, se dirigindo especificamente aos vereadores Edvânio Mendes e Rosangela Santos, que os mesmos mereciam receber o “Oscar” pelo “espetáculo” durante a sessão extraordinária na manhã dessa terça-feira, dia 6.

A vereadora Rosangela Santos acredita ter ocorrido uma “manobra política” referente a votação de licença do prefeito Ney Santos, acatada pela maioria dos vereadores. “O que esperar de um prefeito que faz da nossa cidade como se fosse a casa dele? Por manobra política, o prefeito se afasta para acompanhar o julgamento, sendo que não havia necessidade. Sou eu quem está fazendo espetáculo? Agora a justiça quer prender pessoas sem provas e deixa solto pessoas cheias de provas. Ele (Ney Santos) não é todo poderoso, acima do bem e do mal?”, criticou Rosangela Santos.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Hugo Prado, cobrou mais respeito por parte da vereadora e salientou que a aprovação de afastamento aconteceu em cumprimento da Lei Orgânica Municipal (64/123 – art. 210). “Nós temos que parar e analisar algumas coisas aqui. Até parece que o Legislativo virou o Poder Judiciário. O ato que aconteceu ontem (6/03) foi dentro da lei, previsto no regimento dessa Casa, então vamos respeitar”, replicou o presidente.

Veja também  Chuva continua em toda região

Em tom irônico, o vereador Bobilel Castilho reforçou: “Vou seguir o voto da oposição, que o prefeito continue na cidade. Não é isso que queriam?”

O vereador Edvânio Mendes, que criticou a presidência da Câmara momentos antes do decreto de licença ao prefeito Ney Santos ir a votação, por ter sido notificado faltando poucos minutos (8h11) para a reunião da mesa diretora, marcada para às 8h30 de terça (6), disse que o “direito penal está perverso e seletivo”.

“Tem que comemorar (HC de Ney Santos), parabéns. Nós criamos um direito penal perverso e seletivo, feito para prender meninos pobres com 10 quilos de maconha, mas que não consegue prender pessoas que roubam milhões”, falou Edvânio.

O presidente Hugo Prado concedeu uma parte do pequeno expediente para o Dr. Joel de Matos Pereira, advogado do prefeito Ney Santos, que prestou esclarecimentos sobre a decisão do STF.

Crédito:
Na 22º Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Embu das Artes, realizada na manhã desta
Com o fim do recesso parlamentar nesta terça-feira, dia 31 de julho, todas as câmaras
Na última terça-feira, dia 5, foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal de Taboão da