Requerimento que cobra estudos dos radares em Embu das Artes é rejeitado
Maioria vota pela rejeição do requerimento
Vereador André Maestri fez o uso da tribuna: "É uma angúnstia ver projetos de lei reprovados e que nem sequer foram ao plenário." (Foto: Assessoria de Imprensa da CMTS)

Na 4ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Embu das Artes, realizada na quarta-feira, dia 28, em novo horário, às 10h00 da manhã, o requerimento N° 02/2018, de autoria dos vereadores André Maestri, Edvânio Mendes e Luiz do Depósito, onde cobra informações da prefeitura sobre os radares implantados no município, foi rejeitado pela maioria dos vereadores por 7 votos contrários, contra 5 favoráveis.

A indicação feita pelos vereadores da oposição cobrava informações contratuais entre a empresa responsável pela implantação dos radares com a prefeitura, além de análises das vias implantadas, o custo mensal para a municipalidade e um plano de educação.

Antes mesmo do projeto ir a votação, os vereadores fizeram o uso da palavra contestando: “A oposição legislativa está sendo ignorada pelo executivo municipal.”

A vereadora Rosangela Santos (PT) relatou fazer diversas cobranças de documentos emitidos pela prefeitura, mas que os pedidos não estão sendo acatados. Além disso, segundo a vereadora, “não está havendo transparência do governo com a oposição.”

“Desde o primeiro momento fomos oposição construtiva. Nós aprovamos projetos que beneficiam a população e reprovamos projetos que prejudicam a população. Tudo que a gente pede, pelo o governo é negado. Estão prejudicando o nosso papel que é fiscalizar, não existe transparência”, criticou Rosangela Santos.

Já o vereador Bobilel Castilho (PSC) lembrou da notificação do Ministério Público, enviada a Câmara Municipal, que aponta irregularidades de uma obra no Jardim Nossa Senhora de Fátima, durante o governo do deputado estadual Geraldo Cruz, na época prefeito de Embu das Artes. “Quando vejo vereador falar de fiscalizar, será que está falando da boca pra fora ou só para fazer média? Acabou de chegar aqui, nesta Casa de Leis, uma notificação do Ministério Público de um desvio de 1 milhão e meio (500) de verba e ninguém falou nada”, retrucou Bobilel Castilho.

Veja também  Vereadores repercutem operação da PF contra desvio de recursos na merenda escolar de Embu das Artes

O vereador Edvânio Mendes (PT) lamentou o resultado da votação. “Somos oposição com responsabilidade. É algo que vou levar para a minha vida, onde um Legislativo não tem coragem de pedir estudos de fiscalização. Mas temos que respeitar a democracia, onde a maioria prevalece”, destacou o vereador.

Já o vereador Danilo Alves afirmou ser a favor das críticas construtivas em prol de melhorias no município. Sobre os radares, ele disse: “Acha ruim aquela pessoa incomodada, que passa o sinal vermelho e não respeita os limites de velocidades do radar”, ressaltou.

Crédito: Rodrigo Lopes
Na última terça-feira, dia 5, foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal de Taboão da
A Operação "Prato Feito" deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira, dia 9, que
A Proposta de Emenda à Lei Orgânica do Município 3/2017, que aumenta de 13 para