Miracatiba se recusa a participar de qualquer audiência pública na região
Vereadores de Embu das Artes voltaram a falar sobre o assunto
(Foto: Divulgação)

Após se sentirem ignorados pelos representantes da empresa de transporte intermunicipal Viação Miracatiba, na audiência pública prevista para acontecer na última quarta-feira (4), às 17h, (leia mais clicando aqui), onde nenhum funcionário da empresa compareceu para prestar esclarecimentos aos munícipes e autoridades, os vereadores de Embu das Artes voltaram a falar sobre o assunto na manhã desta quarta-feira, dia 11, durante a sessão legislativa. Uma nova convocação deverá ser encaminhada para a Miracatiba. Caso não haja retorno por parte da consorciada, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), que é órgão responsável pelo transporte público estadual, ficará encarregada de responder aos questionamentos.

O vereador André Maestri (PTB) fez o uso da palavra durante o grande expediente e afirmou que uma nova audiência deverá ser marcada pela Casa de Leis para discutir o transporte público municipal e intermunicipal na região. “O problema é amplo, municipal e intermunicipal. Se nessa próxima convocação eles (representantes da Miracatiba) não vierem, eu não quero participar de reunião com portas fechadas com ninguém”, disse Maestri.

Ainda de acordo com o vereador, por meio de um requerimento lançado à Câmara, também deverão comparecer a EMTU, grande parte dos consórcios intermunicipais e municipais, e servidores da Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Embu das Artes.

O vereador e Presidente da Câmara, Hugo Prado (PSB), afirmou que encaminhará os ofícios de convocação “não correspondidos pela Miracatiba” para o atual governador do Estado, Márcio França (PSB). De acordo com o presidente, a Viação Miracatiba informou de antemão que não estará presente em qualquer audiência pública.

“Encaminhamos um ofício, fizemos o contato telefônico, explicamos o quão seria importante a audiência, mas para nossa surpresa, ficamos sabendo que a Miracatiba não viria por se tratar de uma audiência pública. Já deixaram claro que não estarão presentes em qualquer audiência. Gostaria que a gente pudesse reunir todos os vereadores e discutir para que um melhor encaminhamento seja tomado”, lamentou Hugo Prado.

Veja também  Estreia do app da CNH digital é adiada para a 1ª quinzena de outubro

Já a vereadora Rosangela Santos (PT) diz que é inaceitável a ausência da Miracatiba em uma audiência, e que o Ministério Público de São Paulo já pode estar ciente da decisão. “Se a Miracatiba não vier, ainda é válido chamar uma audiência pública com a EMTU. Que seja realizado num sábado com a presença em grande número da população”.

A Viação Miracatiba é alvo constante de críticas por parte dos usuários que relatam diversos problemas enfrentados nas linhas, como “a superlotação dos ônibus, o intervalo demorado dos coletivos nos pontos, a imprudência no trânsito e a falta de cordialidade de alguns motoristas, além do estado precário dos veículos” e outras várias irregularidades apontadas pelos passageiros que dependem do transporte público intermunicipal.

Crédito: Rodrigo Lopes
A pré-candidata a deputada federal, Ely Santos, irmã do prefeito de Embu das Artes, Ney
No último domingo, dia 8, a Câmara Municipal de Taboão da Serra entregou o título
Vereadores e munícipes insatisfeitos com o serviço prestado pela empresa consorciada à EMTU (Empresa Metropolitana