Gilson Oliveira tem apoio popular mas deve abrir mão e apoiar Hugo Prado para a presidência da Câmara
O vereador venceu a enquete feita pelo Primeiro Notícias, mas abriu mão de se candidatar ao pleito e novamente apoiar Hugo Prado
(Foto: Divulgação)

O Jornal Primeiro Notícias realizou uma votação popular no período de 18 a 22 de outubro de 2018, e o nome do vereador Gilson Oliveira despontou com 47,69% sendo 289 votos para ocupar a presidência da Câmara no biênio 2019-2020. Em segundo lugar está o vereador de oposição, André Maestri que obteve 257 votos contabilizando assim 42,41% da intenção popular.

Vale ressaltar que a enquete trata de opinião popular e não conta como eleição, uma vez que os membros da Mesa serão eleitos em votação aberta que ocorre no dia 20 de dezembro deste ano e o voto é dado apenas pelos 17 vereadores da atual legislatura.

O vereador Gilson Oliveira agradeceu o empenho do Pastor Alex de Mello Cardoso, presidente da Assembleia de Deus em Embu das Artes – ADBras, que junto com a população sempre apoiaram seu trabalho de mais de 30 anos. “Meu nome está cogitado, mas por causa do meu problema de saúde não seria bom. A conversa caminha para Hugo presidente e eu vice já está bom. Na realidade mesmo com a dificuldade esse é um reconhecimento do povo pelo trabalho que faço há 30 anos na comunidade. Deus é fiel”, disse.

Procurado pela equipe do Primeiro Notícias, o atual presidente da Câmara não nega a composição da chapa Hugo Prado (Presidente) e Gilson Oliveira (Vice-presidente), porém declarou que neste momento está focado na eleição do segundo turno com o objetivo de eleger Márcio França (PSB).

Nos bastidores, a reportagem obteve informação que um vereador tem procurado demais vereadores, inclusive de oposição para votar em Hugo Prado. Vale destacar que com a vitória de Márcio França, o vereador Hugo do mesmo partido teria espaço no governo e assim automaticamente Gilson ocupa a cadeira de presidente da Câmara, no caso de afastamento. Além disso, a desistência de Gilson seria um pedido do prefeito Ney Santos, que influência diretamente na escolha do próximo presidente.

Veja também  Reforma trabalhista aprovada; veja o que muda

André Maestri ganhou a aprovação popular com base em sua declaração que é preciso que o poder legislativo possa caminhar independente do poder executivo para que a cidade tenha desenvolvimento e crescimento. Ele conta com o apoio de outros três vereadores Edvânio Mendes, Rosangela Santos e Dra Bete, e também com a aprovação do Dani Boy, que não declarou voto, mas declarou aberto a ouvir as propostas do vereador André Maestri.

“Fico muito feliz que a população tenha defendido esse ponto de vista. Eu acredito que a partir do momento que outro poder como o executivo quer ditar as regras e assim colocam projetos impopulares como a taxa do lixo, o aumento do IPTU e o aumento do transporte pelo presidente Hugo Prado passam a não ter essa independência e assim deixando de defender os interesses da população. A minha presidência implicaria no corte de algumas regalias como a proposta de redução de 17 para 13 vereadores”, falou ao Jornal Primeiro Notícias.

Questionado com relação ao posicionamento do vereador da base, Dani Boy (DEM), André foi objetivo em dizer que não acredita no voto do parlamentar. “Dificilmente ele vai contra o prefeito. Se ele tivesse liberdade de escolha sim mas acho difícil ele se posicionar dessa forma”, declarou.

Crédito: Redação
A pré-candidatura de Luis Inácio Lula da Silva foi lançada neste domingo (27) em uma
O presidente do Clube Atlético Taboão da Serra (Cats) Anderson Nóbrega, tomou posse oficialmente da
O deputado federal e pré-candidato a Presidência da República nas eleições de 2018, Jair Messias