Conta de luz fica mais cara em SP
Pela primeira vez no ano, bandeira vermelha foi acionada. Consumidor pagará R$ 4,00 por casa 100 quilowatts-hora consumidos.
3 de agosto de 2019
(Foto: Reprodução)

A conta de luz está mais cara desde quinta-feira (1). Pela primeira vez no ano, a bandeira vermelha foi acionada. Em períodos mais secos os reservatórios das hidrelétricas ficam mais baixos e para garantir o abastecimento o governo precisa acionar as termelétricas, que possuem um custo mais alto.

Nessa condição o consumidor pagará R$ 4,00 por casa 100 quilowatts-hora consumidos. Na bandeira amarela é pago R$ 1,50 pelo mesmo consumo. Além desse aumento, em julho, a concessionária de energia, Enel, já tinha reajustado as tarifas em 6,48%.

Dicas para economizar energia
Um dos vilões das contas de energia são os chuveiros elétricos. Um modelo de 3.500 Watts de potência ligado diariamente por 15 minutos custa R$ 59,54 por mês com a bandeira vermelha.

A dona Tereza sabe disso e exige dos netos a mesma atenção. Ela diz que quando a neta fica muito tempo no banho ela avisa “Sai do banheiro, olha a água. Para o chuveiro!”.

A dona de casa também tem o hábito de retirar da tomada aparelhos que não estão sendo usados. Segundo especialistas, a atitude pode gerar uma economia de até 12%.

Outro cuidado que o consumidor deve ter em casa é com a geladeira. É importante não deixar a porta aberta e ficar atento à vedação. Para verificar se a geladeira está bem vedada basta colocar uma folha de papel na porta, fecha-la e puxar. Se a folha sair fácil, é sinal de que tem algum problema com a vedação.

Uma alternativa para economizar na conta de luz é investir em lâmpadas LED. Segundo a vendedora Alessandra dos Santos, atualmente, a lâmpada Led está mais barata que as florescentes, além disso, elas possuem mais durabilidade e proporcionam maior economia “a durabilidade é maior e a economia é maior”, diz ela.

Veja também  Fila Zero: Prefeito Ney Santos anuncia parceria com a Clínica São Bento

O engenheiro eletricista diz que esses e outros hábitos, como por exemplo, desligar as luzes quando sair do ambiente são formas de absorver o impacto da bandeira vermelha. “Alguns consumidores, em função das crises antigas, já têm hábito forte, muito arraigado de controle das lâmpadas de não deixarem acesas as lâmpadas no ambiente e as pessoas que ainda tem margem para ganhar conseguem economizar bastante algo em torno de 10% da energia”, afirma ele.

As famílias de baixa renda podem aderir ao programa da tarifa social para a conta de energia elétrica. Ele dá um desconto progressivo nos primeiros 220 quilowats consumidos no mês.

Crédito: Elaine Bast, SP2 - G1
O estado de São Paulo passará a emitir a partir desta terça-feira (20) o novo
O volante do Corinthians, Junior Urso, passou por uma situação aterrorizante no último domingo (18/08/2019).
A Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo anunciou, em reunião