Anvisa proíbe venda de lote de marca de leite condensado
Lote 0681M1 da marca Fazendeira terá de ser retirado do mercado por conter em excesso bactéria que pode causar vômito, diarreia e mal-estar.
Leite condensado Fazendeira, da fabricante mineira Baduy (Foto: Divulgação)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu definitivamente a venda de um lote do leite condensado Fazendeira, da fabricante mineira Baduy.

Segundo o órgão, após análise, foi constatado que o produto feito em Ituiutaba contém em excesso a bactéria estafilococos coagulase positiva, que pode causar vômitos, diarreia e mal-estar.

O lote vetado foi o 0681M1, com validade até 17 de janeiro de 2018, que já havia sido interditado preventivamente por 90 dias em setembro do ano passado.

A proibição definitiva foi determinada porque a Baduy não apresentou contraprova à interdição inicial, segundo a Anvisa.

A empresa não pode comercializar nem distribuir o produto e ainda terá que recolher todo o estoque existente no mercado.

Orientação ao consumidor
A agência recomenda que os consumidores evitem o lote do leite condensado para não ter problemas de saúde, em especial as pessoas mais vulneráveis como crianças, idosos e aquelas que já estão doentes.

O que diz a empresa
Em nota, a Baduy diz que “toda a documentação e esclarecimentos foram prestados aos órgãos competentes”, que fez o recall do lote na época da notificação e que não existem mais unidades em seu estoque nem no mercado.

A companhia diz também que nenhuma reclamação quanto ao produto foi registrada em seus canais de atendimento ao consumidor.

“Insta salientar ainda que, sempre preocupados com a qualidade e a segurança dos produtos que oferecemos, exercemos um severo controle em todas as etapas do processo de fabricação dos produtos, desde a seleção dos ingredientes até a fase final de embalagem e distribuição”, diz o texto.

“A Baduy e Cia. é uma empresa que está há 80 anos no mercado de produtos laticínios e se preocupa com a qualidade e com o controle microbiológico efetivo de todos os produtos”, emenda.

Veja também  Feira da Saúde em São Lourenço da Serra
Crédito: G1
O Tribunal de Contas do Estado apontou 23 irregularidades nos serviços prestados por organizações sociais
O Concurso Público com validade de dois anos, realizado pela Prefeitura de Taboão da Serra
Em atendimento ao que dispõe a Lei nº 101 de 4 de Maio de 2000,